That Girl: T.S- Sossega...

quarta-feira, setembro 2

T.S- Sossega...



Calma, respira fundo. Sossega. Sossega esse coração, sossega a tua alma. Eu sei que querias que desse tudo certo, pensavas que era o tal quando o encontraste por acaso, quando falaram, trocaram números e ao final de poucas semanas pensaste que era desta. Mas, se calhar, a partir da primeira semana, já era a tua imaginação que trabalhava e não a realidade. Provavelmente viste coisas onde não existiam ou se calhar ele fez com que acreditasses em algo que não era verdade. Acredita, eu sei exatamente o que tu pensaste quando ele te beijou a mão pela primeira vez, ou te acariciou o cabelo num gesto suave, que se pode chamar carinho. 
Mas, depois, do nada ele mudou, não foi? Ficou diferente e tu voltaste atrás no tempo para ver todas as conversas, todos os momentos, tudo o que lhe disseste para ver o que disseste de errado. Querias saber onde erraste. Nunca mais te procurou, numa mais te convidou para sair. Nunca mais te dirigiu a palavra, nunca mais mandou mensagem a explicar o que se tinha passado. Mas que querias? Passado poucas semanas estavas mesmo à espera que tudo fosse real? Há poucas exceções onde isso acontece. O amor, uma relação, constrói-se durante meses, às vezes demora anos para ambos perceberem o que querem realmente. 
A partir daí começas a fazer perguntas a ti mesma, "Será que ele não gostou da forma intensa como eu mostrava o que eu sentia por ela?", "Será que ele não gostou da última roupa que utilizei ou da maneira como arranjei o cabelo, no nosso último encontro?". Eu sei, todas estas perguntas e muitas mais te passaram pela cabeça, não foi? Eu sei que sentiste o maior desgosto quando ele desapareceu, quando ele deixou de te procurar, tudo parecia estar a encaixar tão bem... Tinham tanto em comum. Gostavam das mesmas bandas, das mesmas comidas, das mesmas coisas. Ele parecia respeitar o que tu gostavas, por muito que ele não gostasse. Parecia mesmo que ele era o "certo". 
Eu sei que é difícil, mas para o teu bem, para! Não revivas cada momento, cada segundo, cada toque, cada palavra. Não procures o que é que tu fizeste de mal. Sei que ficas chateada, aborrecida, por teres algumas expectativas e não as consegues alcançar. Mas, por favor, não culpes quem tu és. Não tens culpa de seres tímida, ou de estares sempre a mexer no cabelo quando estás nervosa. Tu és assim, e vais encontrar alguém que te ame assim!
Não te castigues por te entregares às coisas a 100%, de seres otimista ou perfecionista. Isso não é nenhum defeito. Nem aqui nem no outro lado do mundo! Não te vou dizer "O que é teu volta, o que não é, não volta" porque, sinceramente, nem eu acredito nisso. O que eu acredito é que ele não era o certo, ele não era o tal, para ti. Não te soube respeitar, não soube ver a rapariga espetacular que tu és, não quis conhecer mais essa menina insegura que tens dentro de ti.
Alguém vai aparecer para amar esse teu perfecionismo, alguém para te amar da maneira que tu amas, alguém que te compreenda, te respeite e que te conheça melhor que qualquer outra pessoa. Não penses em te adaptar a alguém. Se esse alguém te ama, e se tu amas esse alguém, vão arranjar uma forma de ambos se adaptarem, não é só um que te de se adaptar. Corre riscos, vive! Entrega-te, porque entregares-te é viveres, e o sofrimento faz parte. Não queiras voltar atrás para mudar uma única vírgula, sabes porquê? Porque essa vírgula, esse ponto, fez quem tu és hoje! 
Sossega esse teu coraçãozinho. Continua a amar as pessoas da maneira como tu amas porque vais encontrar alguém que ame da mesma maneira que tu amas. 
Não tenhas pressa. Tem calma. Sossega...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Muito obrigada pelo teu comentário! É muito importante!